Compra segura


16/03/2012  

Seguro prestamista garante a quitação de dívidas a prazo

“Este produto dá segurança e tranquilidade aos envolvidos nos processos de concessão de crédito e financiamento de bens, uma vez que ele assegura, dependendo das coberturas contratadas, a inadimplência do tomador do crédito no caso de sua morte, invalidez ou perda de renda”, afirma João Paulo Mello, Superintendente Geral da Tecaseg Corretora.

Ele explica que o seguro prestamista é, geralmente, contratado junto a uma seguradora através de um corretor de seguros pela própria instituição financeira. “Aberta a apólice, quando o contrato individual de crédito ou financiamento é firmado, é oferecido o seguro prestamista, que geralmente é pago junto com a prestação da compra do bem. Na ocorrência de um dos eventos previstos, o seguro prestamista quita a dívida junto à instituição de crédito”, conta.

Um exemplo da forma como o produto funciona: um indivíduo compra um carro financiado. No momento da concessão do crédito, ele pode contratar o seguro e, no caso de sua morte ou invalidez, é o seguro quem irá efetuar a quitação da dívida, sem maiores transtornos para o credor e isentando o comprador e sua família de ter que arcar com esse compromisso. “Com isso, o seguro prestamista produto cumpre um importante papel social na economia”, analisa Eduardo Ribeiro do Valle Vidigal, diretor executivo da Marítima Seguros.

Fique atento

Como qualquer produto de seguro, o prestamista também apresenta algumas restrições, às quais o consumidor deve ficar atento. Algumas delas são: idade mínima do contratante de 18 anos e máxima de 60 a 80, dependendo da seguradora; carência em casos de invalidez ou perda de emprego; adesão a programas de demissão voluntária, entre outros.

Quanto custa?

O preço do seguro prestamista varia muito de acordo com o valor do bem, o prazo do financiamento e a idade do segurado. Ou seja, há diferenças entre os seguros para um liquidificador e para uma moto, como também no pagamento de um seguro de uma dívida de três meses e no de outra de 36 meses, ou se o segurado tem 25 ou 75 anos de idade. Como é um seguro de vida em grupo, ou seja, contratado para vários clientes de uma mesma loja, por exemplo, é possível ter um custo bastante reduzido por segurado/cliente. De uma maneira geral, a ampla rede de distribuição das empresas varejistas e concessionárias de serviços públicos, entre outros conglomerados do gênero, permite custos menores do seguro prestamista. C

Como em qualquer seguro, o custo está diretamente relacionado ao risco. Assim, um seguro prestamista de tomadores de empréstimos de uma instituição que contrata com a seguradora uma apólice sem limite de idade para adesão será mais caro que um seguro de uma instituição que limita a idade de empréstimos a 60 anos de idade, por exemplo.

Um seguro com futuro promissor

Com a estabilização econômica brasileira e o aumento do crédito, o que incentiva o consumo, o seguro prestamista tem apresentado fantástica performance. “Em 2011 foram arrecadados R$4,5 bilhões, mais de R$1 bi a mais que em 2010, representando um crescimento de 33%”, informa Mello, que complementa “se comparados os últimos 10 anos, a arrecadação anual apresentou incrível aumento de 1887%, ou seja, quase 20 vezes”.

“Certamente, com a liberação de novos investimentos e a geração de renda para as classes C e D, mais pessoas passarão a ter acesso às linhas de crédito e, consequentemente, começarão a integrar a massa do seguro prestamista. Acredito que, pelo menos até 2016, após a Copa do Mundo e as Olimpíadas no Brasil, teremos um significativo crescimento nesse segmento”, diz Vidigal.