Dicas – Riscos de Engenharia


Dicas

O objetivo do seguro de riscos de engenharia é garantir redução de prejuízos para construtoras, investidores, empreiteiras, instaladores de máquinas e equipamentos industriais e comerciais. Oferece cobertura para acidentes de origem súbita, que possam ocorrer durante a execução do serviço.

A contratação desse seguro deve ser acompanhada por profissionais da área de engenharia, qualificados para identificar e avaliar riscos potenciais. A partir do diagnóstico de cada negócio são apresentadas soluções adequadas e adaptadas às necessidades de cada segurado, com acompanhamento de novos riscos que possam surgir.

Tudo Sobre Seguros relaciona abaixo algumas dicas para auxiliar na escolha das coberturas mais indicadas para cada segurado.

  • Planeje a compra do seguro. Por ser um seguro de contratação complexa, o interessado (construtor, empreiteiro, dono da obra, engenheiro) deve planejar com antecedência a contratação do seguro. A documentação da obra deve estar bem organizada, com cronograma físico e financeiro e plantas e licenças já aprovadas. Os documentos de equipamentos e outros itens merecem o mesmo cuidado. O período de antecedência depende do porte da obra, mas um prazo de 60 dias antes do início planejado da obra é razoável. Obras já iniciadas dificilmente têm aceitação pelas seguradoras.
  • Com a documentação em ordem, procure um corretor de seguros especializado na área de riscos de engenharia. Como ocorre com todo seguro, o auxílio do corretor é essencial, mais ainda numa atividade complexa, como são obras e maquinário. Um corretor de outro ramo de seguros pode não conhecer as nuanças e complexidades desse contrato e, portanto, pode não ser capaz de lhe oferecer a melhor cobertura e o melhor preço.

. Informe seu corretor sobre o custo preciso do projeto. Esta é uma informação crucial para as seguradoras avaliarem bem o risco envolvido e, portanto, quanto o seguro custará para você.

  • Descreva a natureza do projeto, o tipo de construção ou montagem, o local, seu histórico de risco e se registrou ou não com sinistros recentemente.
  • Forneça ao seu corretor uma cópia do contrato de construção ou montagem para assegurar-se de que todos os riscos estarão cobertos. Ele deve estudar o contrato para certificar-se de que você será segurado adequadamente, nem a mais nem a menos do que se propõe a pagar, e para recomendar os cuidados que, além do seguro, podem ser necessários ao bom andamento do projeto. Seu advogado deve estudar tais recomendações.
  • Segurança é fundamental. Informe o corretor sobre todas as medidas de segurança que você toma. Sistemas de extinção de incêndio, cercas em torno da propriedade a ser segurada para evitar roubos e outras medidas de prevenção tornam o risco mais palatável às companhias de seguros e, portanto, seu seguro mais barato.
  • Informe também o corretor sobre as várias fases do projeto, além das datas de começo e fim. A fase de realização das fundações é sensivelmente mais arriscada que a de elevação das paredes. As seguradoras analisam o risco e fixam os preços, entre outros fatores, com base nas fases críticas do projeto.
  • Muitos construtores exageram desnecessariamente o custo do projeto, o que resulta em prêmios significativamente mais elevados. A maioria dos questionários de risco não exige que eles segurem custos não sujeitos à perda ou que não teriam de ser incorridos novamente em caso de perda total. São, por exemplo, os casos de custos de fechamento, taxas de água e esgoto, estudos de engenharia, etc. Além disso, o construtor pode igualmente deduzir do valor da obra o seu lucro, desde que não espere ser reembolsado por lucros cessantes em caso de sinistro.
  • Uma vez terminada a obra ou a montagem, não há mais necessidade da proteção do seguro de riscos de engenharia. É o momento de contratar um seguro normal de propriedade e de responsabilidade civil geral.