Terceira Idade


Você está próximo da aposentadoria e, provavelmente, seu patrimônio não vai crescer muito mais. O desafio agora é controlar os gastos de modo a manter sua qualidade de vida e poder deixar uma herança para seus entes queridos. O seguro ainda representa um papel importante nessa etapa da vida.

Auto

O seguro de automóveis é uma das vantagens da terceira idade. A prudência que os idosos geralmente demonstram ao dirigir, e que irrita os estressados do trânsito, é valorizada pelas companhias de seguro. Saiba que, se você tem mais de 65 anos, pode pagar até a metade do preço que é cobrado de um jovem, tendo o mesmo carro e rodando na mesma região. Além da cautela, outro aspecto valorizado pelas seguradoras é o uso do automóvel. Como muitos idosos são aposentados, eles usam seus veículos fora dos horários de pico, dirigem sem pressa e rodam menos.

Residência

Muitas companhias de seguros fornecem descontos para aposentados, porque estes passam mais tempo em casa e têm mais condições de manter em bom estado o imóvel. A apólice de seguro residencial é barata: por um valor anual de apenas 0,1% a 0,2% do valor da cobertura, você pode proteger sua casa ou seu apartamento contra incêndio e roubo, além de explosões, danos elétricos e danos a terceiros (responsabilidade civil). É bem menos que um seguro de automóvel, que pode custar entre 4% e 20% do valor do carro – ou até mais, se ele já tiver alguns anos de uso.

Vida

Para as pessoas acima de 65 anos, o seguro de vida é caro e aumenta à medida que o indivíduo se torna mais velho. Por isso, para tais pessoas, a melhor opção é contratar um seguro com cobertura de sobrevivência, por exemplo, um seguro dotal misto, em que o segurado, ao final do período escolhido, retira parte do que aplicou capitalizado, ou na sua falta, durante a vigência da apólice, uma indenização é paga aos beneficiários. Cabe prestar atenção ao prazo de vigência da apólice que, em geral, é igual ou superior a 5 anos.

Saúde

Acontece com o seguro saúde do idoso o mesmo que ocorre com o seguro de vida. Eles pagam mais que os jovens, pois o risco é maior. Acresça-se a isso os custos crescentes da medicina, que são inevitavelmente repassados para os segurados. Assim, o ideal é que as pessoas analisem cautelosamente os contratos e vejam quais são os valores, as carências e as coberturas oferecidas pela operadora, para que não tenham problemas futuros. Através do site da ANS, o consumidor pode obter mais informações sobre as obrigações das operadoras de seguro saúde.

Previdência

Aqueles que já contribuem para um plano de previdência privada devem ficar de olho na mordida dos impostos. Se a pessoa optou por um Plano Gerador de Benefício Livre (PGBL), terá de recolher Imposto de Renda (IR) sobre todo o patrimônio na hora do resgate.

A alíquota do IR varia de 27,5% a 15%, de acordo com o tempo em que o dinheiro permaneceu aplicado. Para que não haja surpresas desagradáveis com o pagamento de imposto, é recomendável que os investidores façam os cálculos sempre levando em conta a alíquota mais elevada (27,5%).

Por outro lado, muitos idosos podem achar que, aos 65 anos, não cabe mais poupar, mas sim receber os benefícios do INSS e os rendimentos de patrimônio, se existirem. Essas pessoas deveriam consultar as tabelas da expectativa de vida do IBGE, que mostram que uma pessoa de 65 anos viverá, em média, até os 72 anos. E se a história familiar for favorável – se, por exemplo, os pais ultrapassaram os noventa anos –, é quase certo que o idoso viverá muito mais do que indicam essas projeções.

Há, portanto, que se preocupar em poupar um pouco de modo a ter uma reserva para o futuro, seja para financiar os gastos que aumentarão, como os de saúde, seja para deixar um pecúlio para os filhos. Os que não têm filhos talvez não queiram deixar herança, e o problema passa a ser consumir o capital acumulado. O melhor aí é procurar um consultor financeiro e instruí-lo a fazer os cálculos financeiros com uma boa margem de sobrevivência. Por exemplo, uma pessoa de 60 anos deve fazer um planejamento para viver, no mínimo, mais 20 anos.