Dicas – Automóvel frota


Prevenção

Acidentes

Caminhões e ônibus são frequentemente protagonistas de acidentes nas estradas brasileiras. Velocidade incompatível e cansaço do motorista são os motivos predominantes nos acidentes mais frequentes e mais graves: tombamento de veículos de carga.

As principais circunstâncias e causas dos problemas críticos, apontadas em várias pesquisas, estão relacionadas a:

  • condições de trabalho dos motoristas de veículos de carga;
  • habilitação desses motoristas;
  • características das estradas;
  • condições de conservação das estradas; e
  • condições dos veículos.

Especialistas no assunto identificam o ponto comum para superar essas dificuldades: a adoção de programas preventivos de manutenção da frota e de treinamento dos motoristas.

Roubo e furto

Empresas que transportam pessoas ou mercadorias pelas rodovias do país devem adotar medidas preventivas para diminuir as perdas por acidentes, furto ou roubo. As empresas de gerenciamento de risco auxiliam nesse sentido, indicando a necessidade ou não de escolta armada, de implantação de sistemas de bloqueio, localização, monitoramento e rastreamento dos veículos e de definição de rotas mais seguras para os motoristas.

O treinamento dos motoristas é uma das opções mais indicadas para melhorar as condições de segurança da frota. Dentre os ensinamentos transmitidos, várias instituições como a Polícia Civil do Estado de São Paulo e a Associação Nacional do Transporte de Cargas e Logística (NTC), além da cartilha S.O.S. Caminhoneiro, dão as seguintes orientações ao motorista:

 


Procedimentos importantes

  • O site da Polícia Federal (PF) tem um serviço para comunicar roubo ou furto do veículo. A recomendação é fazer o registro nas primeiras 72 horas, para não comprometer a eficácia na apreensão dos bandidos.

O sistema ALERTA da PF envia automaticamente a ocorrência com todas as informações dadas pelo motorista para os carros da polícia equipados com computador de bordo que estejam no estado onde aconteceu o fato e também para os carros dos estados vizinhos, além dos mais de 400 postos da PF. O registro também pode ser feito por telefone, ligando-se para a central de operações da PF do estado em que o motorista se encontra.

  • Se for surpreendido e dominado por ladrões, o motorista deve manter-se calmo, não encará-los e evitar discussões. Ele deve esforçar-se para guardar mentalmente o maior número de detalhes que serão úteis para a investigação policial. Assim que for libertado, deve dirigir-se imediatamente ao posto policial mais próximo e comunicar a ocorrência. Também deve avisar a sua família, sem provocar pânico, procurando transmitir tranquilidade.
  • Caso seja amarrado, não se desesperar nem fazer movimentos bruscos. Aguardar com calma a melhor oportunidade para tentar se libertar.
  • Não bancar o herói. Ter consciência de que é a sua vida que está em jogo.
  • Permanecer à disposição da polícia para prestar esclarecimentos e reconhecer suspeitos pelo álbum de fotografias. Vale lembrar que quanto mais cedo a polícia for notificada maior será a chance de localizar e recuperar o veículo.
  • Não irritar nem provocar os sequestradores. Colaborar com serenidade, manter a calma e não entrar em pânico. Os assaltantes temem ser reconhecidos e agem com violência quando se sentem em perigo. • Não reagir a roubos à mão armada.

 


Cuidados especiais

  • Não conversar em bares, oficinas e borracharias sobre a carga, destino e rotas a serem cumpridas. Nesses locais, muitas quadrilhas colocam informantes que procuram fazer amizade e conquistar a confiança do motorista. Desconfiar de “amigos de última hora”.
  • Ter cuidado ao falar no telefone celular ou rádio, pois as conversas podem ser gravadas por bandidos.
  • Estar muito atento nas imediações do local onde receber a carga, pois é nessa área que ocorre o maior número de abordagens dos ladrões.
  • Ao parar em sinais de trânsito, posicionar-se preferencialmente na pista central (afastando-se de calçadas e canteiros).
  • Não viajar armado. Dificilmente o motorista poderá defender-se de um ataque de surpresa, principalmente com o veículo em movimento. Se o motorista decidir ter uma arma, deve providenciar autorização para o porte e escondê-la em local seguro e de difícil acesso. Não carregar armas na cabine, pois poderão ser usadas contra o motorista.
  • Não revelar a estranhos a natureza da carga, trajeto a percorrer e destino.

 


Na estrada

Sempre que possível, viajar próximo de outro caminhão, em comboio.

• Viajar no período diurno, reservando o noturno para descanso. Quando for necessário viajar à noite, formar comboio com outros caminhões.

• Se notar algo estranho, mesmo com outros caminhões, transmita a informação imediatamente para a empresa e para a polícia. Ao socorrer motorista que estiver parado, avisar a empresa e outros motoristas que estejam próximo.

• Não parar em hipótese alguma no acostamento por motivos que possam aguardar a parada em postos de gasolina ou praças de pedágio.

  • Não dar carona nem parar em locais ermos para prestar auxílio a mulheres, crianças ou pessoas acidentadas. Avise a Polícia Rodoviária.
  • Ficar atento para ver se algum carro está seguindo o veículo, ainda que em velocidade reduzida. Telefone ou passe um rádio para a empresa.
  • Programar os aparelhos de telefonia para discagem por uma única tecla.
  • Criar códigos de alerta com os companheiros de estrada, utilizando os equipamentos normais de sinalização.
  • Estabelecer regras de acompanhamento com a empresa ou familiares e manter comunicação com eles em intervalos regulares em locais predeterminados.

 


Nas paradas

  • Programar as paradas durante o trajeto e informar a empresa quando chegar e sair.
  • Preferir aos postos de abastecimento conhecidos, organizados, com funcionários uniformizados e com segurança. Na dúvida, escolha aqueles situados na área urbana das cidades do percurso.
  • Evitar postos onde é sabido que ocorrem assaltos com frequência.
  • Só parar em postos protegidos, em locais mais seguros.
  • Nunca dormir em pontos desconhecidos nem estacionar longe do posto ou no acostamento. Antes de descer do caminhão, verificar se alguém está próximo e com atitude suspeita.
  • Não deixar o veículo sem vigilância, ainda que por poucos instantes, quando precisar ausentar-se para tomar banho ou alimentar-se.
  • Atenção para indivíduos disfarçados em falsas blitzes ou que simulam defeitos mecânicos no meio da estrada, provocando parada obrigatória para assalto.

 


Todo cuidado é pouco

  • Evitar passagens sob viadutos nos quais estejam pessoas ou aglomerações que indicam provável arremesso de objetos ou até projéteis.
  • Observar a existência de obstáculos que obrigam reduzir a velocidade ou de objetos pontiagudos que podem perfurar os pneus.
  • Procurar familiarizar-se com os frequentadores e funcionários dos postos, identificando eventuais veículos suspeitos ou falsos carreteiros em busca de informações que venham a ser usadas contra motoristas.
  • Confiar desconfiando e buscar informações com o gerente ou proprietário do posto, sobre o pernoite na área. Trancar o caminhão e proteger bem a chave.

 


Na descarga

  • Não contratar desconhecidos paracarregar ou descarregar produtos.
  • Procurar imediatamente a área de estacionamento do terminal.
  • Se tiver de deixar o caminhão na rua, pedir aos outros colegas que vigiem o veículo.
  • Cuidado na busca do “frete de retorno”. Convém ajustar previamente e por telefone, quando possível.
  • Não se entusiasmar com “ofertas tentadoras”. Pedir a opinião do proprietário do posto de gasolina ou pessoa merecedora de credibilidade.
  • Observar o embarque da carga, o recebimento e conferir a documentação. Jamais efetuar a entrega na rua, fora do estabelecimento.
  • Evitar locais com trânsito lento.

 


Outras recomendações

• Planejar cuidadosamente cada viagem a ser feita. • Identificar o melhor caminho para chegar ao local do destino. O trajeto mais curto nem sempre é o melhor.

• Sempre que possível, obter licença legal e instalar no veículo radiotransmissor da chamada “Faixa do Cidadão” para comunicação permanente com outros motoristas e com postos da Polícia Rodoviária.

  • Sempre que possível, evitar estradas que não oferecem boas condições.
  • Dividir em etapas o trajeto a percorrer. Programar horários de descanso.
  • Identificar os melhores pontos de apoio aos quais será possível recorrer em caso de necessidade.
  •  Não parar em locais suspeitos, principalmente à noite.
  • Utilizar sistemas de segurança no transporte de cargas tais como: trava e alarmes eletrônicos, sistema de rastreamento por satélite para veículos e cargas e câmeras de segurança nas cabines.
  • Em caso de pneu furado, principalmente à noite, nunca pare imediatamente. Procure um local identificado e seguro.
  • Com antecedência, checar as partes mecânica e elétrica, os pneus, o estepe, freios, água no radiador etc.

 


Documentação

  • Programar as próximas paradas para abastecer e descansar.
  • Conferir todos os documentos pessoais (identidade, habilitação, etc.), da carga (manifesto, notas fiscais, etc.) e do caminhão (licenciamento, seguro, Registro de Transporte de Bens – RTB do licenciamento para o transporte de carga perigosa – se for o caso, etc.).
  • Não aceitar contratos ou avisos de conhecimento, com dados incorretos.

 


Nunca é demais lembrar

  • Ao notar qualquer movimentação, veículo ou pessoas suspeitas, ligar para 190, 191 (PRF) ou avisar o posto policial mais próximo.
  • Cuidado ao pedir informações. Evitar levar “chapa” desconhecido, para explicar melhor o ponto de descarga.
  • Quando precisar de ajuda do serviço de “chapas”, procurar sempre aqueles que já são conhecidos ou que tenham sido indicados por algum amigo.
  • Nunca deixar o veículo aberto, muito menos com a chave na ignição.
  • Nunca deixar documentos ou objetos de valor expostos dentro da cabine.
  • Procurar conhecer os funcionários e frequentadores habituais dos postos de abastecimento e locais de parada e fazer-se conhecido por eles.

 


Planejar também ajuda

  • Encher o tanque para não precisar parar logo no começo da viagem.
  • Rever o planejamento da viagem em cada parada.
  • Se a descarga não puder ser feita no mesmo dia do embarque, providenciar local seguro para pernoitar.
  • A cada parada fazer a vistoria completa do caminhão, prevenindo atos de sabotagem que poderão forçar uma parada na estrada.
  • Examinar as partes vitais do veículo depois de uma parada regular – alguém pode tentar sabotá-lo. Fazer marcas pessoais nos principais componentes do veículo que permitam rapidamente sua identificação.
  • Respeitar as leis de trânsito e sinalizações nas estradas.
  • Dirigir com segurança e responsabilidade. Jamais tomar bebidas alcoólicas durante a viagem.
  • Esquecer o “rebite”. A saúde do motorista não merece nem precisa de estimulantes.
  • Não desviar das rotas planejadas, a não ser por motivo de força maior.
  • Ter sempre à mão os números de telefones de postos da Polícia Rodoviária.
  • Redobrar a atenção nas paradas em sinais de trânsito e nos congestionamentos.
  • Só estacionar o veículo para descarga após certificar-se das condições de segurança.
  • Ao ser abordado por patrulheiros, observar o nome no uniforme e tomar nota, em caso de abuso de poder ou atitude estranha.

 


Áreas de risco – rodovias

  • Presidente Dutra (Guarulhos, Jacareí e Arujá)
  • Régis Bittencourt (Taboão da Serra, Barueri e Osasco)
  • Bandeirantes/Anhanguera (Jundiaí e Perus)
  • Raposo Tavares (Cotia)
  • Fernão Dias (Atibaia, Bragança Paulista e Trevo Paulista)
  • Avenida Anhanguera (Americana, Sumaré, Jundiaí e Campinas)