Pequeno empresário – o segurado que falta  


29/06/2011  

É fato conhecido que a maioria das pequenas empresas contrata poucos seguros, em geral, exceto os seguros obrigatórios, coberturas contra alguns riscos nomeados como incêndio, queda de raios e vendaval.

Entretanto, os outros riscos continuam existindo e uma perda inesperada pode destruir anos de trabalho duro. Um grupo altamente carente de seguros é, por exemplo, o de empresas e/ou trabalhadores autônomos sediados na própria residência, um setor em franco crescimento na economia atual. O microempresário residencial, que começa com uma ideia, sua força de trabalho e uma máquina (em geral, um microcomputador), muitas vezes, não percebe o alto potencial de perdas (relativas às suas posses) na atividade que exerce.

Muitos pensam que o escritório em casa está coberto pelas apólices de seguro residencial quando é justamente o contrário. Na maioria dos casos, são riscos excluídos desse seguro, na apólice básica, os danos decorrentes do exercício de atividade profissional, entendendo-se como tal os serviços remunerados prestados por profissionais liberais. Para isso, é preciso contratar cobertura específica como a de escritório em residência que cobre os bens respectivos instalados no imóvel segurado decorrentes de incêndio, queda de raio, explosões, danos elétricos etc.

Outro fato muitas vezes desconhecido pelo pequeno empresário é a exclusão de cobertura de softwares. Tanto no seguro residencial quanto no seguro empresarial, a proteção securitária mais freqüente se aplica apenas ao hardware – o terminal de computador, teclado, impressora etc – mas não ao software instalado no disco rígido do computador ou em discos e fitas usadas para fazer o backup do computador.

A maioria das pequenas e médias empresas são estruturados como sociedades limitadas. Caso o negócio vá mal, esta forma de propriedade pode colocar em risco os patrimônios pessoais dos quotistas. Pense, por exemplo, no caso de um contador que comete um engano no recolhimento de tributos do que resulta uma multa elevada ao cliente. Ou no de uma pequena confecção que não consegue entregar a tempo uma encomenda para um evento. Ou uma pequena construtora que executou mal uma reforma de apartamento. Nesses e noutros casos ressalta a importância do seguro de responsabilidade civil que dê proteção contra ações judiciais por danos pessoais ou danos materiais. Trata-se de um seguro barato e que evita muita dor de cabeça.

Um risco também subestimado pelos pequenos empresários é a própria morte. No mais das vezes, o dono é o “homem-chave” do negócio. Na sua falta, a proteção securitária pode ser essencial para dar continuidade à empresa e garantir o sustento da família. A apólice do seguro de vida ajuda os herdeiros a arcar com os custos de transferência da propriedade do negócio. Idem se o proprietário quiser que o negócio passe para uma pessoa de fora da família: a indenização pode fornecer os recursos para que essa pessoa adquira a empresa.

Advertisements

Outra área importante para as pequenas empresas é a do plano de saúde. É fácil imaginar as dificuldades de uma pequena empresa, digamos, uma metalúrgica com 10 empregados se um torneiro mecânico cai doente e tem de se ausentar por um longo período. O complicado é que os planos de saúde são inegavelmente caros e, em geral, acessíveis com folga apenas às grandes empresas. A boa notícia é que legislação permite que as empresas se reúnam entre si para contratar plano privado coletivo de assistência à saúde. A contratação pode ser feita diretamente com a operadora ou por intermédio de uma empresa administradora de benefícios. A administradora pode ser estipulante, isto é, contratante do plano ou seguro, desde que assuma o risco da inadimplência da pessoa jurídica contratante. Outra opção para reduzir o custo do plano de saúde é adotar franquias e co-participações dos empregados.

Em suma, existem três áreas principais que as empresas devem analisar no que e refere a seguros:

  • Seguros que protegem contra prejuízos ou danos causados aos bens ou ao negócio da sua empresa por eventos adversos. Seguros desse grupo podem incluir cobertura para:
  • Seguros que cobrem as responsabilidades civis da sua empresa no caso de ela causar, involuntária e acidentalmente, dano ou prejuízo a terceiros ou aos seus bens.
  • Seguros que protegem você ou seus empregados contra conseqüências de doenças sérias, lesões ou morte, e contra os efeitos que esses eventos podem ter sobre seus empregados, suas famílias e sobre sua empresa.

Cada uma dessas áreas pode ser protegida por coberturas adequadas ao porte e ramo de atividade da empresa. Diversas seguradoras têm apólices desenhadas para pequenas empresas operando em ramos específicos como, por exemplo, restaurantes, hotéis, concessionárias, imobiliárias, construtoras etc. Explore os sítios das seguradoras na Internet e procure um bom corretor de seguros, pois certamente haverá uma apólice adequada a sua empresa.

Existem apólices compreensivas também chamadas multirriscos. Elas reúnem coberturas variadas contra muitos dos riscos descritos acima. De acordo com as exigências de sua empresa, essas apólices podem ser personalizadas. Algumas empresas optam por apólices individuais mais adequadas a seu perfil. No caso do seguro multirrisco padronizado, a base é o seguro incêndio tradicional, isto é, coberturas contra incêndio de qualquer natureza, queda de raio e explosão de gás. O produto pode ser composto com outras opções de garantia adicionais ou acessórias, facultativas. As mais comuns são as coberturas contra alagamento e inundação, danos elétricos, proteção contra roubo de equipamentos e valores, lucros cessantes, pagamento de aluguel, recomposição de documentos, fidelidade de funcionários, responsabilidade civil e outras.

A aquisição do seguro deve ser precedida por uma pesquisa de preços para escolher a melhor apólice. O empresário deve comprar o seguro tendo sempre como suporte um corretor de seguros especializado e autorizado legalmente a operar. Uma ideia de preços e coberturas pode ser encontrada nos sítios de internet das seguradoras e corretoras de seguros. Algumas empresas têm, inclusive, simuladores online que fornecem cotações para cada cobertura. Outra fonte de informações é a associação de classe, que deve ter ligações com corretores e seguradoras especializadas no setor de negócios. Obviamente, os prêmios variam de acordo com o tipo de negócio, tamanho da empresa, quantidade e perfil dos funcionários, localização etc.