Proteja a educação de seu filho


22/01/2019  

Seguro educacional é opção para famílias que perderam renda e não querem prejudicar a educação dos filhos

Joice Hurtado, moradora do Rio de Janeiro, tem três filhos em idade escolar. Dois deles estudam em escola particular com bolsa integral, mas o caçula, que não tinha bolsa, acabou tendo que ser transferido para uma escola pública, onde estudou durante o ano de 2016.

“Eu percebi que o aprendizado dele regrediu bastante, embora ele só tenha seis anos. Na escola particular ele já estava aprendendo a juntar as letrinhas, escrever algumas palavras, e na escola pública a coisa não está funcionando da mesma maneira”, lamenta ela.

Segundo a jornalista, a difícil decisão foi motivada pela crise financeira. Joice, que trabalha como assessora de imprensa, viu vários de seus clientes entrarem em dificuldades financeiras e terem que cancelar seus serviços, o que fez sua renda diminuir pela metade.

Joice já conhecia o seguro educacional, mas não sabia que o produto pode auxiliar as famílias que sofrem a perda de renda a evitar que a situação financeira prejudique a educação de seus filhos. “Eu sabia da existência do seguro educacional mas achava que ele só cobria os casos de falecimento do responsável, não sabia da cobertura por perda de renda”, conta.

O Seguro Educacional foi criado pelo mercado segurador para atender a uma carência dos pais por uma proteção que garantisse a continuidade dos estudos dos seus filhos diante de uma eventualidade. Além disso, existia também a demanda das escolas e universidades por uma ferramenta que os ajudassem a diminuir a inadimplência. “O seguro educacional é hoje, portanto, um importante instrumento de proteção, sobretudo para a classe média que dedica uma parcela importante de seus rendimentos para custear o estudo dos filhos”, diz Enrique De la Torre, Diretor Geral de Riscos de Pessoas do Grupo Segurador Banco do Brasil e Mapfre.

Segundo De la Torre, diante do atual momento econômico é muito importante para os pais (ou responsáveis financeiros) terem a tranquilidade de que seus filhos não terão os estudos interrompidos caso fiquem desempregados. A cobertura de Perda de Renda é uma cobertura adicional do seguro e tem o intuito de auxiliar o responsável financeiro por um período pré-determinado, sendo passível de análise, dependendo a necessidade da instituição de ensino.

O seguro educacional é um dos chamados “seguros da crise”: não é à-toa que os prêmios arrecadados cresceram 71% em 2016 sobre 2015 e 13% em 2017 sobre 2016, sendo esses justamente anos de recessão econômica  e alta do desemprego.

Como funciona e o que cobre o seguro educacional?

A contratação pode ser feita individualmente, embora o mais comum seja a contratação feita pelas instituições de ensino, como estipulantes de planos coletivos, diretamente com as seguradoras. Os planos garantem a educação da criança desde o maternal até a conclusão da pós-graduação e a adesão é feita no ato da matrícula pelo responsável ou pelo próprio aluno, que deve ter idade entre 16 e 70 anos, podendo esta faixa variar de acordo com cada seguradora.

Para colégios e universidades o seguro educacional é interessante como proteção contra alternativa a inadimplência. Os pais ou responsáveis costumam aderir ao plano para garantir o estudo e o futuro profissional dos filhos. Várias instituições de ensino superior contratam um plano coletivo, com abrangência para todos os alunos matriculados, incluindo o custo do seguro educacional no valor das mensalidades.

A cobertura básica do seguro educacional garante o pagamento das mensalidades escolares em casos de morte natural ou acidental e de invalidez por acidente ou doença do responsável financeiro pelo aluno.

Dentre as coberturas adicionais importantes, destacam-se as garantias de pagamento de mensalidades em caso de perda de renda do responsável por incapacidade física temporária, perda de renda por desemprego involuntário, de pagamento de despesas médicas, hospitalares e odontológicas do responsável e reembolso das despesas do aluno para tratamento médico.

Advertisements

Além das coberturas básicas e de tais garantia adicionais, as seguradoras que comercializam este produto oferecem ainda outras coberturas  como, por exemplo, perdas devidas à repetência, gastos com formatura e pré-vestibular, além de oferecerem serviços para os responsáveis financeiros, como Assistência Recolocação Profissional, entre outros.

A cobertura de mensalidades escolares ocorre até o limite do capital segurado, devendo ser observado que este pode não ser suficiente para quitar integralmente as mensalidades do curso. O responsável financeiro pelo estudante paga prêmios à seguradora e em caso da ocorrência de algum evento coberto (que depende das coberturas contratadas), o estudante recebe uma indenização para auxiliar o custeio das mensalidades escolares.

O pagamento periódico da indenização referente às mensalidades escolares pode ser realizado diretamente ao estabelecimento de ensino desde que haja prévia anuência do responsável pelo estudante ou deste último, se maior de idade.

Quanto custa?

O custo médio do seguro varia de 1% a 3% do valor da mensalidade escola, sendo esse custo assumido integralmente pela instituição de ensino. Uma vez contratado o seguro, todos os responsáveis financeiros dos alunos estarão cobertos. As apólices possuem vigência de 12 meses, podendo ser renovadas em comum acordo entre a instituição de ensino e seguradora.

Como em todos os seguros de pessoas, os pais podem fazer quantos seguros educacionais quiserem para seus filhos, na mesma seguradora ou em outra. Cada seguradora vai pagar o valor da indenização contratada. Mas, na contratação, devem informar à seguradora que possuem outros seguros do mesmo tipo.

Quais os riscos excluídos?

As coberturas do seguro educacional se baseiam nas dos seguros de vida e de acidentes pessoais. Por essa razão, o produto geralmente não cobre perdas decorrentes de:

  • atos e operações de guerra, rebelião e tumultos;
  • doenças preexistentes à contratação do seguro, que não foram informadas na declaração de saúde. A exclusão não pode ser aplicada se o segurado desconhecer a sua existência;
  • suicídio ocorrido durante o período de carência de dois anos;
  • prática de atos ilícitos dolosos (vontade consciente de enganar para obter vantagem pessoal ou para outros) por parte do segurado ou de seus beneficiários;
  • demissão por justa causa; etc.

É importante para o segurado ler atentamente o contrato para se informar de todos os riscos excluídos, isto é, das situações em que a indenização não será paga.

O seguro educacional dá tranquilidade aos pais dos alunos em relação a algum imprevisto que possa lhes acontecer e prejudicar o futuro profissional de seus filhos.

É o tipo de seguro que todos na família devem saber que foi feito, quais são as condições do contrato, a validade da apólice, o nome da seguradora e do corretor, onde os documentos e comprovantes de pagamento estão guardados, enfim, tudo o que diga respeito ao assunto.