Tempo de viajar


17/07/2018  

Julho é mês de férias e viajar é sempre revigorante. Mas também pode ser problema, principalmente, se você não estiver preparado para os imprevistos. Várias situações podem prejudicar repentinamente os planos de uma viagem e deixá-lo com contas salgadas e inesperadas a pagar.

Felizmente, o mercado de seguro pode ajudá-lo a se proteger dessas perdas e o preço do seguro viagem é relativamente baixo. Para destinos internacionais, o custo fica entre R$ 9,00 e R$ 25,00, por dia. Já para as viagens nacionais, de R$ 2,00 a R$ 4,00, por dia.

Algumas dicas. Se você tem cartão de crédito, verifique desde logo se a empresa responsável oferece algum seguro de viagem ou assistência que lhe possa ser útil.

Escolha seu seguro com base na viagem que você escolheu fazer e nas suas circunstâncias pessoais (idade, saúde, finanças etc). Se você é jovem e vai fazer turismo de aventura, sua necessidade de seguro é uma. Se você é turista de meia idade e economizou para ter as férias de sua vida na Itália, sua necessidade é outra.

Desde março de 2016, quando entraram em vigor as alterações constantes da Resolução n° 315 do CNSP, o seguro viagem passou a contar com coberturas importantes de saúde que o distanciaram do que era antes – um seguro de acidentes pessoais de curta duração.

Os contratos de seguro viagem passaram a ter obrigatoriamente, no mínimo, uma das seguintes coberturas básicas:

  • Despesas médicas, hospitalares e/ou odontológicas em viagem nacional (DMHO em viagem nacional) – indenização das despesas médicas, hospitalares e/ou odontológicas ocasionadas por acidente pessoal ou enfermidade súbita e aguda ocorrida durante o período de viagem nacional e uma vez constatada a sua saída de sua cidade de domicílio.
  • Despesas médicas, hospitalares e/ou odontológicas em viagem ao exterior (DMHO em viagem ao exterior) – idem no caso de viagem ao exterior e uma vez constatada a saída do segurado do país de domicílio.
  • Traslado de corpo – indenização das despesas com a liberação e transporte do corpo do segurado do local da ocorrência do falecimento até o domicílio ou local do sepultamento. Esta cobertura não pode ser contratada isoladamente.
  • Regresso sanitário – indenização das despesas com o traslado de regresso do segurado ao local de origem da viagem ou de seu domicílio caso este não se encontre em condições de retornar como passageiro regular por motivo de acidente pessoal ou enfermidade cobertos pelo seguro.
  • Traslado Médico – indenização das despesas com a remoção ou transferência do segurado até a clínica ou hospital mais próximo em condições de atendê-lo, por motivo de enfermidade ou acidente pessoal cobertos pelo seguro.
  • Morte em viagem – pagamento do capital segurado aos beneficiários do segurado, de uma única vez ou sob a forma de renda, em caso de falecimento do segurado por causas naturais ou acidentais durante o período de viagem.
  • Morte acidental em viagem – pagamento do capital segurado aos beneficiários, de uma única vez ou sob a forma de renda, em caso de falecimento do segurado, apenas por acidente pessoal ocorrido durante o período de viagem.
  • Invalidez permanente total ou parcial por acidente em viagem – indenização em caso de perda, redução ou impotência funcional definitiva, total ou parcial, dos membros ou órgãos definidos no contrato em decorrência de lesão física sofrida pelo segurado provocada apenas por acidente pessoal ocorrido durante o período de viagem.

É importante lembrar que, no caso das despesas médicas e hospitalares, é obrigatória a cobertura de episódios de crise ocasionados por doença preexistente apenas quando gerarem quadro clínico de emergência ou urgência e limitadas às despesas necessárias à estabilização do segurado que lhe permita continuar viagem ou retornar a sua residência.

Advertisements

Assim, antes de comprar essas coberturas, verifique com sua operadora de saúde se ela estende as coberturas de seu plano em outros lugares do no país ou no exterior e quais as limitações em termos de valores reembolsáveis, hospitais, procedimentos etc.

Os contratos de seguro viagem podem, facultativamente, oferecer também coberturas para:

  • Bagagem – indenização em caso de extravio, roubo, furto, dano ou destruição da bagagem, devidamente comprovados.
  • Cancelamento de viagem – indenização das despesas não reembolsáveis com a aquisição de pacotes turísticos e/ou serviços de viagens, como transporte e hospedagem, se o segurado ficar impedido de viajar ou continuar viajando.
  • Regresso antecipado – indenização das despesas com o traslado de regresso do segurado ao local de domicílio ou origem da viagem, ocasionado por evento coberto.
  • Funeral – indenização das despesas com o funeral em caso de falecimento do segurado ocorrido durante o período de viagem.

O cardápio de opções é diversificado e há planos para quem viaja sozinho com frequência, para a família e para executivos a trabalho.

Se você vai para algum país da União Europeia, lembre-se que, pelo Acordo de Schengen, os turistas devem comprovar possuir seguro contra acidentes, enfermidades e repatriação no valor mínimo de 30 mil euros. Caso seja solicitado, o certificado (apólice) desse seguro deve ser apresentado à imigração do país ao qual esteja ingressando.

E se você pretende entrar com seu carro (ou carro alugado) em algum país do Mercosul deve contratar o seguro Carta Verde que cobre a responsabilidade civil do dono ou do condutor por danos causados a pessoas ou objetos não transportados. Sem a apresentação do certificado na fronteira, o veículo é impedido de circular no país de destino. As seguradoras emitentes das apólices do seguro Carta Verde devem ter, obrigatoriamente, convênios com seguradoras dos demais países para o atendimento e encaminhamento dos sinistros (acidentes) porventura ocorridos e cobertos pelos seguros emitidos.