Tornado em Taquarituba


27/09/2013  

Recentemente, um tornado destruiu o centro e outros dois bairros da cidade paulista de Taquarituba. Os ventos provocaram sérios danos em casas, lojas, empresas e silos agrícolas. No rasto do tornado, duas pessoas morreram, 64 ficaram feridas e cerca de 100, desabrigadas.

O prefeito de Taquarituba, Miderson Zanello, decretou estado de calamidade pública e calcula que serão necessários milhões de reais para cobrir os prejuízos. Foram solicitados recursos dos governos federal e estadual para recuperar a cidade, e parte dos danos de particulares também serão compensados.

A indústria de seguros desempenha papel importante na proteção contra riscos desse tipo. Por meio dos seguros multirriscos (ou compreensivos) residenciais, condominiais e empresariais, as famílias e empresas podem proteger seus imóveis das consequências de muitos fatores danosos inerentes à natureza.

Nos seguros multirriscos, a cobertura básica oferece indenização contra prejuízos originados por incêndio, queda de raio e explosões causadas por gás empregado na iluminação ou no uso doméstico. Porém, tal cobertura exclui danos provocados por terremotos, erupções vulcânicas, alagamentos, inundações ou quaisquer outras convulsões da natureza de caráter extraordinário, bem como eventos climáticos decorrentes de ventos fortes como ciclones, furacões, tornados, etc. Assim, o consumidor preocupado com gama maior de riscos deve agregar coberturas adicionais à cobertura básica contra incêndios. No cardápio disponível para customizar o seguro residencial, existem coberturas especiais e facultativas que garantem justamente perdas e/ou danos materiais causados por vendaval, ciclone, furacão, tornado e granizo. Para efeito dessa cobertura, definem-se vendaval, como vento de velocidade igual ou superior a 54 e até 102 km/h; ciclone, com ventos acima de 102 e até 119 km/h; e furacão, superior a 119 km/h. De acordo com o Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia), o tornado que atingiu Taquarituba teria ventos classificados como F1 na escala internacional de furacões (Fujita). Nessa condição, eles atingem de 117 a 180 km/h.

Um cuidado a se ter na compra de um seguro residencial é o seguinte: ele exclui de proteção os danos causados ao imóvel segurado por inundação ou alagamento causado por transbordamento de rios ou enchentes, mesmo que esses eventos sejam consequências dos riscos amparados pela cobertura. Ou seja, se você quer se precaver mais completamente, deve contratar também a cobertura contra alagamento e inundações que garante indenização para os danos causados por entrada de água no imóvel em consequência de trombas d’água, chuvas e aguaceiros, transbordamento de rios, lagoas, lagos e represas, ruptura de encanamentos, etc.

Advertisements

Esse foi um problema ocorrido nos Estados Unidos após o furacão Katrina que alagou Nova Orleans. Muitas famílias tinham seguro residencial que cobria danos causados por vendavais e furacões, mas não por inundações derivadas de tais intempéries. Como a inundação foi causada pelo furacão, nesse caso, as seguradoras tiveram de negar as indenizações. Isso só reforça a importância de se pensar numa cobertura mais completa nas regiões sujeitas a riscos naturais variados. Coisa similar ocorre no seguro de automóveis. O consumidor deve contratar a apólice compreensiva (ou multirriscos) que contém, entre outras, cobertura contra ventos fortes, isto é, qualquer vento causado pela natureza de velocidade igual ou superior a 54 km/h. Obviamente, o segurado que possui apenas a apólice mais simples – contra roubo, furto e incêndio do automóvel – não terá cobertura contra os danos causados por um tornado.

Outros dois seguros que se aplicam ao que ocorreu em Taquarituba são o seguro de vida e o seguro rural. Os seguros de vida pagam aos beneficiários identificados na apólice indenização em caso de morte do segurado tanto por causa natural quanto acidental, ou ao próprio segurado em caso de invalidez permanente. Este tipo de seguro é um instrumento de proteção social, já que contribui para amenizar as condições financeiras desfavoráveis que o segurado ou seus beneficiários poderão enfrentar, se algum dos riscos cobertos se concretizarem.

Por sua vez, o seguro rural garante cobertura contra a maioria dos riscos de origem externa, como chuvas em excesso, incêndio, queda de raio, tromba d’água, ventos fortes, ventos frios, granizo, seca, geada e variações excessivas de temperatura. É um seguro especialmente interessante para pessoas que vivem e trabalham em cidades como Taquarituba que tem forte atividade rural, Conforme noticiado na imprensa, a Secretaria de Municipal de Taquarituba estima que 350 mil sacas de grãos (trigo, soja, milho e sorgo) tenham sido comprometidas pelo tornado.