Comprando – Microsseguros


Como faço para comprar um microsseguro?

A compra é bem simples. Primeiro, você ou o seu corretor de microsseguro preenchem um pedido à seguradora, solicitando a contratação do microsseguro. Depois, a partir do recebimento da sua proposta,  a empresa terá 15 dias para analisá-la e aceitá-la ou não. Em determinadas situações, pode pedir mais informações ou documentos antes da aceitação. Sendo aceita a proposta, a seguradora lhe enviará a apólice de seguro.

Existe também a possibilidade de adquirir o seu microsseguro por bilhete ou certificado, que não exigem preenchimento de uma proposta. Basta preencher um formulário com os seus dados pessoais (nome, CPF, RG, endereço, etc.), assinar, declarando que aceita as proteções que o microsseguro oferece, pagar o valor do prêmio e pronto. Automaticamente você já é um segurado.

Por contrato, você tem o direito de escolher quais coberturas deseja do seu microsseguro. Por bilhete e certificado, não. São coberturas  fixas, com condições que você não pode mudar.

 


Qual a diferença entre apólice, certificado e bilhete de seguro?

A Apólice é o documento que formaliza o contrato de seguro, estabelecendo os direitos e as obrigações da seguradora e do segurado. A apólice caracteriza a aceitação dos itens discriminados na proposta e o compromisso formal da seguradora em atender todas as obrigações advindas das cláusulas contidas na proposta.

O bilhete de seguro é um documento emitido pelo segurador ao segurado, com o mesmo valor jurídico da apólice, e que dispensa o preenchimento da proposta. O certificado de seguro se aplica aos seguros de grupos e é o documento expedido pela seguradora que certifica a existência do seguro para cada individuo do grupo segurado.

 


Só posso comprar o microsseguro com o corretor de microsseguro?

Não, mas o melhor é dar preferência a um corretor. Ele é um elo entre você a seguradora. Seu papel é identificar e pesquisar os microsseguros mais indicados para você, esclarecer todas as dúvidas, orientar a compra, acompanhar o seu caso se acontecer alguma coisa e agilizar a liberação da sua indenização ou do seu benefício, se porventura você vier a precisar.

O corretor não é funcionário da seguradora, mas sim um intermediário entre você e ela. Contudo, você pode comprar o microsseguro também com um correspondente de microsseguros, que são empresas e estabelecimentos comerciais ou bancários e representam as seguradoras na hora de comercializar esse tipo de seguro.


Qual a diferença entre o corretor e o correspondente de microsseguro?

Há algumas diferenças entre os dois. A principal é que o corretor é um profissional habilitado para fazer a intermediação entre o comprador ou segurado e a seguradora. Os correspondentes são bancos, financeiras, operadoras de cartão de crédito, companhias de luz, água, gás e telefonia, casas lotéricas, lojas de eletrodomésticos e roupas –  enfim, qualquer outro tipo de negócio que seja autorizado pela seguradora a atuar em nome dela na hora de oferecer um microsseguro.

Atualmente, existem milhares correspondentes de microsseguros espalhados pelo Brasil, sobretudo em localidades onde não há agências bancárias. Cada um desses estabelecimentos precisa ter, pelo menos, um profissional preparado para se responsabilizar por todas as transações de microsseguro.


O que o correspondente de microsseguro pode fazer em nome da seguradora?

Uma série de coisas. Pode divulgar e vender microsseguros, inclusive via internet, em nome da seguradora. Pode receber os pedidos de microsseguro feitos pelos clientes interessados. Também pode ser responsável por receber as mensalidades do microsseguro, receber os avisos dos riscos ocorridos e pagar a indenização, quando for o caso.

Além de tudo isso, se preciso, os correspondentes de microsseguro devem prestar assistência aos segurados e a seus beneficiários.


Qualquer seguradora pode vender microsseguro?

Sim. Tanto as microsseguradoras, criadas exclusivamente para vender microsseguros, quanto as seguradoras tradicionais, que já existiam antes, podem comercializar esse tipo de produto. Porém, todas dependem da aprovação da Superintendência de Seguros Privados (Susep) para operar, seja com microsseguros de pessoas, seja com microsseguros de danos.

Acontece o mesmo com as entidades de previdência privada aberta, só que elas estão autorizadas somente a oferecer cobertura de pecúlio por morte ou por invalidez.


Posso comprar o microsseguro através da internet também?

Sim. Porém, a seguradora é obrigada a respeitar uma série de exigências. A seguradora precisa comprovar, por exemplo, que o documento, enviado pelos Correios ou disponível no site, é verdadeiro e tem o texto completo do contrato feito entre ela e o segurado. Isso significa dizer que nessa declaração deve constar exatamente o que você quer, o nome do seguro e as identificações do segurado e de seus beneficiários, com os seus dados pessoais.

Outra exigência: a seguradora deve confirmar o recebimento de documentos e mensagens enviados ao segurado. Também qualquer alteração feita deve ter um número de protocolo oferecido ao contratante. É obrigatória, ainda, segurança total na transação de dados e informações com o segurado, principalmente no que se refere ao envio de senhas.


Dizem que posso fazer um microsseguro junto com outras pessoas. É verdade?

Sim. Porém, não é você quem compra. Ele é vendido apenas a uma pessoa jurídica, como uma empresa, uma associação ou um sindicato, por exemplo. Vamos supor que a sua empresa contrate um microsseguro de pessoas, cujos. benefícios serão estendidos a todos que queiram participar. Isso é o que chamamos de microsseguro coletivo.


Posso escolher o valor de indenização que eu quiser?

Não. Existem limites. Confira abaixo os valores máximos a receber:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


O que acontece se eu atrasar o pagamento do seguro?

Dependendo do microsseguro contratado, antes de seu cancelamento, pode haver um prazo de tolerância ou período de suspensão até que volte a ser pago. Porém, é preciso estar atento às diferenças entre os dois períodos de tempo.

Se ocorrer o evento coberto pelo microsseguro durante o prazo de tolerância, o segurado poderá receber indenização, mas esse dinheiro virá com desconto das parcelas que não foram pagas. O microsseguro será automaticamente cancelado se a dívida não for quitada até o fim do prazo de tolerância.

Já com o período de suspensão, a coisa é diferente. Durante esse intervalo de tempo em que o segurado está com o pagamento das parcelas do microsseguro em atraso, se ocorrer o risco protegido pelo contrato, ele não receberá a indenização a que teria direito. Quando o segurado tornar a pagar as parcelas em dia, automaticamente as coberturas voltam a valer, sem que ele precise quitar os pagamentos atrasados. Normalmente, o período de suspensão não é muito longo: de dois a quatro meses, no máximo.

Assim como acontece no prazo de tolerância, no caso do período de suspensão, o microsseguro estará automaticamente cancelado se não houver a continuação do pagamento até a sua data final de validade.