Turbulências à frente


15/04/2015  

O Fórum Econômico Mundial (FEM) publicou recentemente a edição 2015 da publicação “Riscos Globais” que condensa percepções de quase 900 de seus membros de várias nacionalidades sobre os maiores riscos que o mundo enfrentará nos próximos dez anos e o papel importante do mercado de seguros para mitigá-los.

Os riscos de maior impacto e maior probabilidade de ocorrência neste lapso de tempo são os seguintes, segundo o FEM: conflitos internacionais, secas, adaptação falha a mudanças climáticas, desemprego ou subemprego e ataques cibernéticos. Outros riscos muito importantes e prováveis são “bolhas” de ativos, ataques terroristas, escassez de alimentos e profunda instabilidade social.

Em termos de impacto potencial, as secas foram classificadas como o risco mais importante que o mundo enfrentará. Em termos de ocorrência, as guerras foram classificadas como as mais prováveis, embora estejam em quarto lugar no que se refere ao impacto material e humano.

Importante notar as inter-relações entre os diversos riscos que podem gerar efeitos cascata: a mudança climática, por exemplo, pode acarretar escassez de água que, por sua vez, tem efeito direto e negativo sobre a produção de alimentos. E ambos – seca e fome – podem desencadear guerras pelo controle dos recursos naturais em falta.

A crescente urbanização foi outra ameaça identificada pelo FEM. O relatório observa que em 2025 dois terços da população mundial viverão em cidades onde diversos riscos são mais presentes, em particular, os de doenças pandêmicas, inadequação da infraestrutura e deficiência de serviços públicos. Além disso, muitas megacidades estão localizadas em áreas costeiras especialmente vulneráveis a inundações e terremotos.

Os riscos derivados da inovação tecnológica acelerada também tiveram destaque. O relatório nota que, nos Estados Unidos, o custo dos ataques cibernéticos já alcança cerca de US$ 100 bilhões anualmente. A biologia sintética, cada vez mais utilizada na medicina, na indústria de alimentos e de biocombustíveis, é outra tecnologia que pode apresentar grandes perigos nas mãos de terroristas e criminosos.

Papel do mercado de seguros

O mercado de seguro certamente pode ajudar a mitigar os impactos negativos de alguns desses riscos, notadamente, secas, escassez de alimentos, ataques cibernéticos e desemprego.

Advertisements

Até recentemente, o risco cibernético integrava o elenco de exclusões de cobertura das apólices de seguros compreensivos. Entretanto, o crescimento do uso da Internet e os crimes correlatos fez com que o mercado começasse a oferecer apólices contra riscos de informática.

Assim, algumas seguradoras de maior porte já oferecem coberturas contra certos riscos de informática.  Para desenvolver planos adequados às necessidades dos clientes, as seguradoras precisam conhecer em profundidade os riscos a que estão sujeitos tais clientes, bem como os setores em que atuam. Pois é evidente que uma empresa de informática que gerencia redes de microcomputadores, armazena dados e faz manutenção de estruturas físicas tem necessidades diferentes de seguro que, digamos, uma empresa comercial ou industrial que vende ou produz bens de consumo.

As secas e episódios de escassez de alimentos são, em geral, riscos climáticos de difícil solução pelo mecanismo do seguro privado. Entretanto, o mercado consegue segurar alguns desses riscos em cobertura adicional especifica. Por exemplo, no caso dos seguros multirriscos residenciais e empresariais, o segurado pode contratar cobertura adicional de alagamento e inundações em consequência de trombas d’água, chuvas e aguaceiros, transbordamento de rios, lagoas, lagos e represas, ruptura de encanamentos, canalizações, adutoras e reservatórios e insuficiência de esgotos, galerias pluviais e similares.

Além disso, no caso dos riscos que afetam a agricultura, junto com os governos que subsidiam parte do prêmio, o mercado já oferece diversas modalidades do seguro rural – agrícola, pecuário, aquícola, benfeitorias e produtos agropecuários, penhor rural, florestas, vida do produtor rural e cédula do produto rural – que ajudam o produtor a se proteger dos efeitos negativos do clima.

O mercado de seguros privados oferece também proteção contra a perda de emprego. Opcionalmente, em produtos específicos como o seguro prestamista, o educacional e o microsseguro, existe cobertura para o pagamento de dívidas ou certo numero de prestações de um financiamento caso o segurado sofra perda de renda por desemprego ou por incapacidade física temporária decorrente de acidente e/ou doença.

As seguradoras podem contribuir muito mais na mitigação dos riscos globais por meio de parcerias público/privadas que fortaleçam a capacidade de avaliação e gestão de risco e ampliem as coberturas mencionadas acima. Alguns riscos, entretanto, são de difícil solução por meio do mecanismo do seguro sendo de se mencionar, em particular, os derivados de guerras, conflitos sociais e crises financeiras. Faltam nesses casos, as condições de previsibilidade básicas que são o fundamento do seguro.